Wednesday, November 08, 2006

Como Truffaut, somos todos incompreendidos

Quando estão terminados, apercebo-me que os meus filmes meus filmes são sempre mais tristes do que eu pretendia (François Truffaut)


*Jean-Pierre Léaud (em destaque), o Antonie Doinel de Os Incompreendidos, o primeiro longa-metragem de François Truffaut

Desamparado, sozinho no mundo, lá vai Antoine Doinel para o cinema, seu refúgio. Ver cinejornal. Sua fuga e sua liberdade. Lá vai Antoine cabular aula com o René, o único amigo que tem na vida. Lá vai Truffaut, e nós com ele, com a certeza de que o mundo em, Os Incompreendidos, tem um pedaço de todos nós.

*O trailler do filme


*Agora, uma das passagens mais
lindas de Os Incompreendidos: a cena flagra o encanto das crianças com o teatro de marionetes. Magia pura.

6 comments:

Anonymous said...

Jules et Jim

Anonymous said...

Mario Zan morreu ... Mario Zan poderia ter feito a trilha para o Truffaut

Anonymous said...

Ai que saudade da minha filha!

Clayton said...

Jules et Jim, e O Homem que amava as mulheres; Atirem no pianista; Fahrenheit 451, Uma Noite Americana; A Sereia do Mississippi etc etc - que maravilha, não?

anna carol said...

clayton, linda mesmo essa cena do teatro de marionetes. o legal é que, no início, as crianças estão um pouco indiferentes, mas depois ficam totalmente encantadas com a apresentação, começam a comentar com os coleguinhas, ficam em polvorosa! tudo é tão bonito porque é muito natural e espontâneo, assim como a própria infância. me lembrou bastante "na idade da inocência", você viu? minha cena preferida é a da garotinha com o megafone dizendo que está com fome e foi abandonada pelos pais haha! aí todo mundo se mobiliza para alimentá-la, é genial. clap! clap! clap!

** seu blog está ficando cada vez mais apetitoso! parabéns!!

Alê said...

NHAC!